Em 1998, quando se procedeu à desmontagem de anterior pavimento do Largo de S. Paulo foram identificados vários muros romanos. Na impossibilidade de se realizar uma escavação arqueológica em área, os muros foram desenhados e fotografados pela Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, tendo sido decidido que ficariam assinalados no atual pavimento.

 

O posicionamento dos muros na malha da cidade romana, permite saber que se integravam num quarteirão residencial, devendo fazer parte de uma domus (casa familiar). As suas características construtivas, e o facto de alguns deles recobrirem o espaço da rua, permitem considerar que as estruturas pertencessem a dois momentos de ocupação distintos. Os muros mais antigos datarão dos séculos I/II (Fase I) e formalizam vários espaços associados ao quadrante noroeste da casa, sendo provável que alguns correspondessem a lojas que se abriam para um pórtico. Tal como aconteceu noutras domus melhor conhecidas da cidade, o espaço do pórtico parece ter sido construído no século IV, verificando-se que a habitação se ampliou sobre a rua, o que pode ter ocorrido já nos séculos V/VI (Fase II).

 

Largo de S. Paulo

 

N 41°32'54.1" 

W -8°25'37.20"

 

.

Braga Romana (c) 2013 produzido pelo Município de Braga